Alcance sua independência financeira!

Assine Nosso Feed!

  • Receba artigos e informações valiosas para se destacar no mercado financeiro e ganhar dinheiro.
  • Fique tranquilo(a), sua privacidade será respeitada.


  • terça-feira, 2 de julho de 2013

    Conhecendo os fundos de índice (ETF): DIVO11


    A participação dos fundos de índice (ETF's) na composição das carteiras de investimento vem crescendo ano a ano - apesar deste ativo ainda ser bastante desconhecido de grande parte dos investidores. Hoje o blog Rico por Acaso apresenta o ETF DIVO11 que replica o índice de dividendos da Bovespa.




    O que é

    Como já foi escrito anteriormente, a função principal do ETF DIVO11 é replicar o índice IDIV da Bovespa que por sua vez é composto pelas empresas que apresentaram os maiores dividend yields nos últimos 24 meses anteriores à formação da carteira.


    Como adquirir

    O procedimento para a aquisição de cotas do fundo de dividendos é igual ao realizado para a compra de outros fundos, bastando digitar o código do ETF no Homebroker (neste caso o código é DIVO11) e realizar os procedimentos de confirmação da compra. O lote padrão é de 10 "ações".


    Composição

    Fonte: http://www.bmfbovespa.com.br/etf/ETFDetalhe.aspx?Codigo=DIVO11&idioma=pt-BR

    A composição do fundo - como não poderia deixar de ser - está prioritariamente alocada nos setores de serviços públicos (como a energia elétrica, leia-se: Cemig, Coelce etc.) e os setores financeiros (como os bancos) e as empresas de telecomunicações.

    Vale lembrar, que apesar das novas regulamentações que recentemente bagunçaram o setor elétrico nem todas as empresas de energia elétrica tem apresentado resultados ruins, o que justifica a elevada alocação de recursos neste setor.



    Taxas

    Os custos para se investir no fundo DIVO11 são os mesmos de quando investimos em qualquer fundo de ações: taxa de administração e imposto de renda. No caso específico do ETF de dividendos a taxa de administração é de 0,50% ao ano.

    Ao contrário do que acontece com as ações individuais (que possuem isenção de imposto de renda em vendas não superiores a R$ 20.000,00), nos fundos esta isenção não ocorre, sendo que os 15% do "leão" serão cobrados em qualquer resgate (independente do valor).

    Resultados

    O fundo DIVO11 vem superando o Ibovespa de forma consistente há alguns anos, exceto no ano de 2007 e 2009. Nos outros anos (de 2006 a 2009) e de 2010 à 2012 o fundo vem "batendo" e muitas vezes superando bem o resultado do índice Bovespa, como veremos a seguir:

    • 2006: DIVO11 (37,3%) / IBOVESPA (32,9%)
    • 2007: DIVO11 (42,6%) / IBOVESPA (43,7%)
    • 2008: DIVO11 (-24,0%) / IBOVESPA (-41,2%)
    • 2009: DIVO11 (55,5%) / IBOVESPA (82,7%)
    • 2010: DIVO11 (11,0%) / IBOVESPA (1,0%)
    • 2011: DIVO11 (14,0%) / IBOVESPA (-18,1%)

    Podemos observar nestes resultados que mais uma vez, a diversificação proporcionada pelos ETF's levam à uma maior proteção do patrimônio, pois em diversos anos de crise o fundo se comportou bem melhor que o índice Bovespa como um todo.

    E os dividendos?

    O fundo DIVO11 - a exemplo dos outros fundos do mercado - reaplica os dividendos nas cotas do fundo e portanto, não paga dividendos.


    Conclusão

    Particularmente, o que "mata" este fundo é não pagar dividendos. Evidente que esta é uma caraterística dos fundos de investimento, mas se estamos falando em dividendos o interessante é recebe-los (em conjunto com a valorização do ativo). Apesar dos bons resultados apresentado - na minha opinião - falar de boas pagadoras de dividendos e não receber dividendos acaba sendo um grande contra-senso.

    Crédito da imagem: http://www.freedigitalphotos.net/
    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    6 comentários:

    1. RPA, estou com uma carteira 50% RF / 50% RV... a parte de renda variável está 50% SMALL / 50% DIVO...

      Não tenho grana pra investir todo mês e quando comecei (antes de montar essa carteira), sofria com uma forte volatilidade por estar em poucos papéis - e no fracionário!... aí, até ter um capital maior pra poder diversificar melhor, entrei nos ETFs!

      Esse ano, na RV, estou com uma rentabilidade acumulada de -10% (e 8% foi só no mês passado). Você, e os leitores, acham viável continuar com essa estratégia até acumular mais capital?

      Abraços!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Anônimo! Pelo que percebi você está exercendo (ainda que não plenamente) a alocação de ativos. A continuidade ou não na estratégia vai depender do seu foco: se você pretende gerar aumento de capital, continue com os ETF's. Se deseja renda passiva, terá de começar a investir em algumas ações individuais ou mesmo em fundos imobiliários. Um grande abraço e obrigado pelo comentário!

        Excluir
      2. Entendi! Valeu Rafael!

        Excluir
    2. "falar de boas pagadoras de dividendos e não receber dividendos acaba sendo um grande contra-senso."

      Pelo que entendo o valor dos dividendos são reaplicados em cotas, não é isso ? Então quando vender as cotas receberá os dividendos embutido. Seria o mesmo que pegar o dinheiro do dividendo e comprar novas cotas, não ?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá! Seu raciocínio está correto, porém não é este o foco de um investimento com foco em dividendos. O objetivo é receber renda passiva, sem a necessidade de vender seus ativos. No seu exemplo, para ter acesso aos dividendos recebidos você teria que vender suas cotas do fundo. Um abraço!

        Excluir