Alcance sua independência financeira!

Assine Nosso Feed!

  • Receba artigos e informações valiosas para se destacar no mercado financeiro e ganhar dinheiro.
  • Fique tranquilo(a), sua privacidade será respeitada.


  • sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

    O que é o spread bancário?


    Quem investe em bancos deve - no mínimo - se familiarizar com alguns conceitos "chave" deste setor. O termo "spread bancário" foi bastante falado nos últimos meses e é ele que vamos entender neste post.


    No ano passado, a presidente Dilma iniciou uma guerra contra o bancos, visando diminuir o chamado spread bancário. Começou este movimento pedindo (obrigando) os bancos estatais a realizar esta mudança, o que levou mais tarde os bancos particulares a também seguir este processo. 

    Definição

    Spread bancário é a diferença entre o que os bancos pagam na captação de recursos e o que eles cobram ao conceder um empréstimo para uma pessoa física ou jurídica.

    Na prática

    Para facilitar seria assim: o banco capta dinheiro no mercado (através de um CDB, por exemplo) e tem de pagar juros por este dinheiro. Em seguida este dinheiro captado no mercado é emprestado para pessoas físicas e jurídicas e o banco cobra as "pequenas" taxas já conhecidas dos brasileiros para emprestar este dinheiro. Para obter lucro, no ato do empréstimo o banco deve cobrar uma taxa mais alta do que aquela que ele paga para captar o dinheiro.

    Desse modo, a diferença entre o valor pago para "comprar" o dinheiro no mercado e "vendê-lo" às pessoas ou empresas que necessitam de empréstimos é conhecido como spread bancário.

    A composição deste spread engloba o lucro, a taxa de inadimplência, taxas administrativas, tributos etc. e estima-se que no Brasil ele chegue a 28%, enquanto que em países como Portugal, China e Japão ele varia entre 1% e 4%.

    Se eu não pego empréstimos, onde isso me afeta? Devemos nos lembrar que o cheque especial, o crédito pré-aprovado e outros produtos "maquiados" pelos bancos e que são aparentemente vantajosos são considerados empréstimos e pode ter certeza que ai está incidindo o spread bancário.


    Implicações nos investimentos

    Como já deve ter dado para perceber, o spread representa uma grande parcela do lucro dos bancos. A diminuição deste índice tende (veja bem, tende) a diminuir o lucro dos bancos e por consequência o valor gerado ao acionista.

    Fiz questão de frisar a palavra tende pois os resultados do 4º trimestre de 2012 do Banco do Brasil (que você pode conhecer clicando aqui) e que já foram influenciados por esta queda são bastante pujantes e registram lucro recorde.


    Conclusão

    Não vou entrar na discussão do intervencionismo do governo Dilma que vem acabando com algumas empresas brasileiras. Fato é que o brasileiro merece juros mais baixos (desde que acompanhados de uma séria análise da real necessidade do crédito) e os bancos, que também são empresas, precisam lucrar. Mesmo com as mudanças no spread bancário os resultados dos bancos não foram afetados como era alarmado por muitos analistas e quem seguiu a manada pode hoje estar se arrependendo.

    Um grande abraço à todos!

    Créditos da imagem: freedigitalphotos.net
    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    11 comentários:

    1. Rafael,
      Muito bom o texto, bem claro para o leigo.

      Discordo da conclusão, o brasileiro não merece juro baixo, pois não é educado e financiará apenas mais produtos. O brasileiro não liga para o juro, a única análise feita é se o valor da parcela cabe no salário, e ainda esta é simplória, pois em qualquer imprevisto os financiamentos não são saldados no prazo.

      O brasileiro precisa de educação: formal e financeira. Urgente!

      Já o governo força a queda do juro com impressão de moeda, prova disto é que o lucro não diminuiu e a inflação aumentou. O brasileiro é enganado, pois tem crédito mais barato, mas maior inflação. Ele apenas trocou a forma de perder dinheiro.

      Abraço!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Jônatas! Muito obrigado por seu comentário! Concordo em partes com você. O brasileiro precisa de melhor educação formal e principalmente financeira, necessita parar de consumir por consumir, mas ainda acho que merece juros mais baixos. Por exemplo, o pequeno empresário que precisa de dinheiro para alavancar um projeto importante, merece juros mais baixos. Um grande abraço!

        Excluir
      2. Rafael,
        O empresário não é bobo. Com juro mais baixo e inflação mais é alta fica tudo no zero a zero.
        Um juro baixo artificialmente, sem lastro em poupança, é mero engodo.

        Abraço!

        Excluir
    2. RPA,

      A Eletropaulo vai divulgar os resultados de 4T2012 agora dia 26/02/13. O que será que nos espera?

      Sei que a empresa não vai se recuperar da noite pro dia, mas gostaria muito de começar a ver sinais desta recuperação mais claros neste resultado. Não digo em relação a números vistosos e empolgantes, mas que, pelo menos, a gente saiba que eles estão fazendo algo pra levantar.

      Vamos aguardar!

      Thiago

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Thiago! Sinceramente eu não sei o que virá! Eu vendi toda minha posição em ELPL4 no inicio do mês, principalmente devido aos movimentos especulativos que tenho visto com o papel, o que me desagradou muito. Teve um dia neste mês em que a ELPL4 valorizou quase 20% e em poucas horas voltou tudo ao normal. Vendi com prejuízo, mas para mim não deu mais. De qualquer maneira, ainda acho que a empresa tem futuro no longo prazo. Um grande abraço!

        Excluir
    3. Olá Boa Noite.

      Parabéns pelo ótimo artigo e concordo em partes com o Jonatas, acredito que não estamos preparados para termos juros mais baixos, afinal, ainda nem começamos a engatinhar em relação a educação financeira da população em geral e com juros mais baixos só iremos financiar cada vez mais carros, viagens, celulares, computadores, etc, etc.

      E tbém compartilho da visão que juros mais baixos não é sinonimo de menos lucro, conforme artigo que publiquei ontem no blog do Favela Investidor.

      http://blogdofavelainvestidor.blogspot.com.br/2013/02/juros-mais-baixos-e-lucro-recorde-isso.html

      Abraço

      Favela Investidor

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Favela! Obrigado por seu comentário! Um abraço!

        Excluir
    4. Olá Rafael,

      Desculpa mas não entendi o seguinte trecho:

      "A composição deste spread engloba o lucro, a taxa de inadimplência, taxas administrativas, tributos etc. e estima-se que no Brasil ele chegue a 28%, enquanto que em países como Portugal, China e Japão ele varia entre 1% e 4%."

      28% de que?

      O spread bancário pra mim é a diferença entre o custo de captação do banco e a taxa de juros cobrada pelo banco.

      O que determina o spread é como essas duas taxas de juros acima são formadas: O custo de captação que varia conforme a solidez da economia nacional, a solidez e o tamanho da instituição bancária em questão, da capacidade da administração e da tesouraria de captar recursos de maneira diversificada e barata.

      Já a taxa de juros, os bancos geralmente tem um modelinho interno, e depende de cliente pra cliente e de produto para produto, tais modelos levam em consideração a quantidade de garantia que a pessoa/empresa coloca para garantir o empréstimo, o histórico da empresa, uma fração para que o agregado cubra os custos administrativos de backoffice e de pessoal, o risco de inadimplência e uma margem de lucro.

      Se as instituições aqui no brasil evoluírem, no sentido dos bancos poderem executar suas garantias com mais facilidade, por exemplo, o spread bancário cai.



      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Brasil! Esses 28% seriam a diferença entre o que é pago para adquirir o dinheiro e o que é cobrado pelo banco para emprestar ao cliente. Um abraço e obrigado pelo comentário!

        Excluir
      2. O modo mais simples de pensar é: A cada R$ 100 que o banco capta, ele revende a R$ 128.

        Excluir
      3. Perfeito Adriano! Resolvida a questão..rsrsrs....Um grande abraço!

        Excluir